Não é novidade que vivemos em um mundo cada vez mais conectado, ágil e digital, e que as empresas precisam sempre buscar nos avanços tecnológicos aquelas ferramentas e os processos que sejam capazes de otimizar o desempenho do negócio e ajudar a alcançar resultados positivos.

Uma série de tendências de tecnologia da informação e de negócios está repaginando a gestão de infraestrutura e operações (I&O) nas empresas. Recursos como Cloud Computing, CaaS, IoT, BI e Analytics, além de fatores como o aumento da mobilidade corporativa e a modernização da infraestrutura de TI legada devem atuar direta e estrategicamente no modelo de negócios de cada organização nos próximos anos.

Quer saber como isso vai acontecer e de que forma a sua empresa pode se beneficiar de cada uma dessas tendências? Continue a leitura deste post.

6 tendências para a TI nos próximos anos

Os principais desafios de I&O para as empresas estão ligados à modernização da infraestrutura, à capacidade de atender rapidamente às mudanças e à necessidade de entregas ágeis.

Nesse sentido, algumas tecnologias e alguns conceitos são fundamentais no processo de transformação digital. Veja:

1. Cloud Computing

Para os próximos anos, muitas empresas usufruirão da facilidade de acesso e do alto desempenho da Cloud Computing.

De acordo com um estudo realizada pela Cisco, as soluções em nuvem continuarão a ser implementadas e ampliadas nos próximos anos. Serviços como SaaS (Software como Serviço), IaaS (Infraestrutura como Serviço) e PaaS (Plataforma como Serviço) continuarão sendo amplamente consumidos pelas empresas.

Além deles, teremos também o CaaS (Container como Serviço), que é a próxima tendência a ser explorada.

2. Containers (ou CaaS)

Como dito, as soluções em nuvem continuarão em alta. Como novidade teremos os Containers, ambientes transportáveis que permitem aos desenvolvedores um novo nível de virtualização para estruturar a fragmentação das aplicações em componentes menores.

Em vez de transportar softwares e sistemas operacionais integralmente, é possível simplesmente isolar esses recursos e códigos, podendo executá-los em qualquer ambiente. Isso garante mais eficiência operacional para as equipes de TI.

Segundo Gartner, até 2020, 50% das organizações globais executarão suas aplicações em containers, buscando mais rapidez no processamento.

3. IoT

A utilização de algoritmos de processamento de informações em dispositivos inteligentes também é uma das tendências de tecnologia da informação, assim como as técnicas de Inteligência Artificial (IA) no aperfeiçoamento desses dispositivos.

As empresas devem aproveitar essa tendência na busca pela melhoria dos processos internos, aprimorando a coleta de dados e automatizando ações do dia a dia. A IoT transformará também a maneira como os Data Centers são desenvolvidos e gerenciados.

4. Mobilidade

Segundo estudo realizado pela Frost e Sullivan, a expectativa é de que, na América Latina, mais de 2,5 bilhões de dispositivos móveis estarão conectados até 2025, o que equivale a uma média de 3,5 dispositivos conectados por cada indivíduo.

Esses dados só reforçam a força da mobilidade no âmbito corporativo. Como a Cloud Computing ampliou o poder tecnológico das empresas, a utilização de dispositivos móveis, wearables e até a IoT abre caminho para uma série de benefícios para os negócios.

O desafio das empresas fica em gerenciar esses dispositivos a favor da segurança da informação e da capacidade de conexão para potencializar os resultados.

5. BI e Data Analytics

Cada vez mais a análise de dados tem se consolidado como uma das forças vitais da TI. Nesse âmbito, o Business Intelligence e o Data Analytics — além de outras técnicas de análise de grande volume de dados — vão continuar se expandindo.

Para obter previsões precisas sobre o desempenho dos sistemas e tomar decisões de negócios acertadas, as empresas deverão investir cada vez mais nas operações com base em dados.

6. Convergência e modernização da infraestrutura legada

Além de ser uma tendência, a modernização dos sistemas legados pode ser considerada uma das prioridades para os gestores de TI das empresas.

A consolidação dos componentes da infraestrutura de TI em uma única plataforma otimizada por meio da virtualização do data center é um dos caminhos para que se diminua a complexidade dos processos e, consequentemente, os custos com tecnologia. Podemos denominar essa transição como “infraestrutura convergente”.

Como sua empresa pode aderir a essas tendências

É importante destacar que as tecnologias já consolidadas são os pilares para a sustentação desses novos conceitos apresentados. Nesse sentido, podemos destacar:

  • os sistemas de armazenamento;

  • a proteção dos dados (backup);

  • a virtualização e os serviços gerenciados.

Por esse motivo, os líderes de TI devem desenvolver estratégias de infraestrutura para aumentar a agilidade na entrega e atender os novos workloads. Provedores de tecnologia tendem a promover a simplicidade da infraestrutura definida por software e da hiperconvergência, assim como a adoção da nuvem e do CaaS.

Podemos dizer que, trabalhando com foco em cloud, a decisão passa a ser sobre como entregar recursos computacionais para os negócios da melhor forma possível, o que mostra a tendência da redução de workloads em infraestrutura on-premise — dentro da empresa — e um crescimento de infraestruturas terceirizadas e híbridas, que permitem um balanceamento entre riscos, custos e continuidade, não importando mais a localização, mas o serviço entregue com confiança e disponibilidade.

Vale dizer que os ambientes on-premise continuarão existindo, mas as aplicações e os negócios vão demandar e determinar onde os recursos de computação serão providos. Por isso, a maioria das empresas precisa adotar modelos multicloud, principalmente em estratégias híbridas, permitindo a preservação do investimento realizado na infraestrutura legada em conjunto com as características de cloud pública de agilidade, elasticidade, flexibilidade e pagamento pelo uso (pay per use).

Da mesma forma, a adoção da BI e do Data Analytics também tem importância e destaque na agenda dos líderes de I&O, principalmente pelo valor que a informação representa em todos os níveis das organizações. Decisões em tempo real, tempo de reação para situações não planejadas e análise de dados em grande volume e em movimento agora são direcionadores e que todas as empresas devem ter capacidade de execução. A ordem do momento é processar os dados com agilidade e escalabilidade

Em outras palavras, estamos falando em uma grande quantidade de dados gerados por diversas fontes: cloud, blockchain, IoT e streaming, além do formato como chegam essas informações — interações, estruturados, não estruturados, relacional ou não, in-memory, colunar, gráficos, entre outros.

Para obtermos um melhor gerenciamento e desempenho, plataformas de armazenamento de alta performance e a capacidade de processamento são essenciais. Dessa forma, essas tendências de tecnologia da informação podem ser mais bem aproveitadas pelas empresas.

Achou o conteúdo interessante? Compartilhe-o nas redes sociais e convide seus amigos e parceiros nos negócios a comentarem sobre o assunto!

Escreva um comentário

Share This