A cultura da inovação hoje é parte essencial da dinâmica interna de qualquer empresa de sucesso. Com a transformação digital, investir em soluções mais eficientes para otimizar processos deixou de ser um diferencial e se tornou uma questão de sobrevivência. Consequentemente, o setor de TI é um importante protagonista para os negócios atualmente.

Entretanto, não basta ficar apagando incêndios e depender do feeling da equipe para inovar. É preciso implementar uma gestão de demandas que atenda às necessidades da empresa, colocando-a em processo de melhoria contínua. Por outro lado, esse é o grande desafio atual das organizações.

Pensando nisso, criamos este conteúdo para esclarecer qual é o impacto do desempenho da TI, a importância da gestão de demandas e como implementá-la. Confira!

Por que o setor de TI se tornou um protagonista?

A tecnologia sempre fez parte do nosso dia a dia. Desenvolver ferramentas para facilitar o trabalho e melhorar o nosso bem-estar é algo inerente à história do ser humano. Entretanto, principalmente do ponto de vista mercadológico, a tecnologia alcançou um nível de desenvolvimento que gera incalculáveis possibilidades de ação.

Mesmo com um mercado extremamente competitivo, criar um diferencial frente à concorrência é uma questão de transformar boas ideias em realidade. As ferramentas para isso estão cada vez mais acessíveis, graças a soluções como a Internet das Coisas (IoT), a computação em nuvem, os Softwares como um Serviço (SaaS) etc.

A velocidade de prestação de serviços e a integração de plataformas é gigantesca. Consequentemente, o mercado se tornou mais volátil, com oportunidades que surgem (ou são criadas) a todo momento. Por isso, a resposta das empresas deve ser rápida e precisa.

O coração da gestão de tecnologia é o setor de TI. Quem antes trabalhava basicamente apagando incêndios e gerenciando softwares e hardwares de outros departamentos hoje cria e direciona as tendências de negócios. No entanto, a TI não funciona sozinha.

Graças à tecnologia, os departamentos das organizações estão passando por uma fase de integração. É preciso que haja alinhamento estratégico e alto desempenho operacional em cada atividade de uma empresa.

O papel da TI, por meio da gestão de demandas, é exatamente mediar essa relação e garantir o pleno funcionamento de cada setor. Isso inclui mapear processos de metodologias de trabalho para reduzir custos, aumentar a produtividade e acelerar a entrega dos projetos.

As necessidades dos negócios mudaram, e o setor de TI precisa acompanhá-las. As próprias oportunidades surgem de forma imprevisível, e a empresa deve estar pronta para agarrá-las.

Quais são os impactos de uma gestão de demandas?

Em primeiro lugar, é fundamental compreender que uma gestão deficiente gera impactos extremamente negativos. Para começar, os processos enfrentam uma lentidão enorme, comprometendo a competitividade da empresa. O custo, por sua vez, se torna elevado, já que todos os recursos (materiais, humanos e tecnológicos) não são aproveitados da melhor forma.

A qualidade tende a cair, se comparada à concorrência — com tecnologias cada vez mais eficientes, demorar mais tempo na produção não significa garantia de qualidade. Além disso, a falta de transparência pode dominar o setor, dificultando a entrada de soluções inovadoras e a melhoria dos processos.

Uma gestão de demandas eficiente gera uma sinergia entre os departamentos. A empresa é capaz de agir com mais rapidez e se adaptar às especificidades do mercado. O produto ou serviço oferecido é personalizado, a entrega é rápida, o desenvolvimento de novas ideias é mais ágil e a marca da empresa é mais valorizada.

Com a transformação digital, as empresas devem implementar a tecnologia como uma ferramenta para guiar os negócios, ampliando as possibilidades de ação. Se uma nova demanda surge no mercado, sua empresa deve estar pronta para atendê-la antes da concorrência.

Tenha isso sempre em mente! O surgimento de novas demandas muitas vezes faz desaparecer produtos e serviços obsoletos. É fundamental ser quem atende à nova demanda, e não quem afundou junto com negócios ultrapassados.

No entanto, o verdadeiro desafio é colocar isso em prática.

Como fazer uma gestão de demandas eficiente?

O setor de TI, como destacamos anteriormente, não se resume mais a um serviço de help desk ou atendimento ao cliente. Agora ele deve atuar com proatividade, já que as demandas crescem em importância e se multiplicam. Para não ser engolido pelas mudanças, é preciso redirecionar seu foco e contar com a ajuda de especialistas.

Para começar, o serviço tradicional de TI pode ser direcionado para parceiros. Soluções para infraestrutura completa de TI podem ser encontradas na nuvem ou em diversos formatos, basta contar com o apoio de um consultor e estabelecer um plano personalizado para a sua empresa.

Partindo desse ponto, sua empresa já conquista uma importante redução de custos e pode investir tempo e dinheiro em inovação. Uma equipe de TI de uma empresa de telecomunicações, por exemplo, deve cuidar de telecomunicações, e não de suporte de TI.

Uma forma de adotar esse novo mindset é compreendendo a TI como uma ferramenta estratégica que gera valor. O serviço tradicional, ou de suporte, deve ser terceirizado. Para complementar, o conceito de gerenciamento de portfólio de demandas é bastante útil.

Se a sua empresa busca verificar a viabilidade de uma solução, as metodologias tradicionais podem deixar o processo tão engessado que ele se torna imprevisível. Por outro lado, com metodologias ágeis, é possível ter uma visão panorâmica mais transparente e discutir os detalhes com os clientes.

Se a área de TI conduz 50 projetos, é certo que a área demandante (negócio) pode ter um número muito maior de iniciativas — que até podem virar projetos, mas precisam ter a participação efetiva da área de TI. Isso pode acontecer mesmo que seja por meio de uma atuação em perspectiva mais macro, mas que dê visibilidade e transparência aos clientes internos.

Essa visibilidade é fundamental para o reconhecimento do valor agregado da tecnologia para o cliente, pois mostra se a iniciativa (demanda) está sendo iniciada, planejada ou executada.

No desenvolvimento de softwares, as metodologias ágeis ganham cada vez mais espaço. Grosso modo, no lugar de uma infraestrutura gigantesca e fixa, o setor de TI utiliza serviços na nuvem, sob demanda.

Assim, o projeto pode ser adaptado às demandas do cliente, deixando de ser limitado pelo potencial da sua empresa naquele momento. Na entrega dos projetos, em vez de um longo período de trabalho para a criação do produto, são feitas entregas constantes, em versões — cada uma com a implementação de novas funções, testadas e homologadas pelo cliente.

Essa é uma tendência importante e que deve ser compreendida por quem deseja implementar uma gestão de demandas eficiente: o cliente deve ser trazido para perto e participar dos processos. O gerenciamento da rotina operacional se torna mais fácil, ao mesmo tempo em que a empresa ganha mais liberdade no mercado em que atua.

Como você pôde ver, essas são ações que visam libertar as empresas das limitações de antigamente — não basta mais atrair os clientes para suas soluções, é preciso adequar suas soluções às necessidades dos clientes!

Agora que você já sabe como isso pode ser feito, conheça também 5 dicas para ser mais eficiente na gestão de projetos de TI!

Escreva um comentário

Share This