Os recursos tecnológicos de qualquer organização se tornaram mais do que simples ferramentas para otimizar tarefas. Hoje, os serviços de TI são capazes de gerar valor para os negócios, e é necessário ter alguns cuidados. Uma das práticas que nem sempre recebe a devida atenção é a atualização de computadores em empresas.

Por mais que haja uma preocupação com a segurança digital e o cuidado com os hardwares, é comum encontrar falhas na rotina de gestão de TI — um erro que pode custar caro! Por isso, mostraremos aqui os riscos que a falta de atualização pode causar. Confira!

A importância da atualização de computadores em empresas

Toda ferramenta utilizada em ambiente corporativo exige certos cuidados. Seja na indústria, seja em um escritório, é preciso controlar os ativos da empresa para que eles tenham a vida útil esperada e desempenhem suas funções com qualidade. Quando o assunto é software, essa necessidade é ainda maior.

Sistemas operacionais e programas em geral oferecem a possibilidade de atualização das suas versões por diversos motivos. Para começar, é preciso ter em mente que o fabricante ou desenvolvedor trabalha constantemente no aprimoramento do software. Sempre que uma nova versão é gerada, novas funções ou algumas melhorias de performance são inseridas.

Portanto, a atualização é o momento de garantir que o sistema conte com o que há de mais novo e eficiente naquele produto. Além da adição de recursos, os desenvolvedores disponibilizam novas versões dos drivers para garantir que o software funcione corretamente, principalmente aqueles que se comunicam com periféricos — de fones de ouvido até sensores e equipamentos industriais.

Em alguns casos, são removidos drivers desatualizados, assim como funções que perderam a utilidade ou podem comprometer o sistema. No entanto, o ponto fundamental da atualização de computadores é a manutenção dos requisitos de segurança do sistema.

Com o aumento dos números de ataques digitais e infecções por vírus e malwares, as empresas de tecnologia têm trabalhado com ainda mais afinco no desenvolvimento de sistemas mais seguros. São feitos testes de invasão e identificadas possíveis falhas de segurança nos sistemas operacionais e nos softwares.

Assim, a cada nova versão gerada são corrigidos erros no código que podem gerar alguma brecha de segurança. Manter os computadores atualizados é, portanto, essencial para que sua empresa preserve a rede mais segura e evite ser alvo de problemas já identificados pelos fabricantes.

Voltaremos a esse assunto mais à frente. Primeiramente, é importante conhecer os principais desafios das atualizações.

Os principais desafios do setor de TI

Em geral, o grande desafio das empresas é criar e manter um planejamento para que as atualizações sejam feitas sem comprometer o desempenho das equipes. O motivo é que boa parte dos fornecedores de software não mantém uma rotina de geração de novas versões em datas específicas.

Em outras palavras, novas versões podem ser lançadas a qualquer momento, com intervalos de tempo maiores ou menores entre elas. É claro que, exceto em casos críticos, essas atualizações não precisam ser feitas exatamente no momento em que são disponibilizadas.

Assim, a equipe de TI pode agendar, por exemplo, uma rotina de atualização para todos os computadores da empresa durante o final de semana. De qualquer forma, o ideal é que elas sejam feitas o quanto antes, principalmente em casos que envolvam correções de brechas de segurança.

A melhor forma de lidar com essa situação é adotar uma política de segurança da informação. Além de guiar o comportamento dos funcionários para manter a rede da empresa protegida, esse documento ajuda a estabelecer as prioridades.

Sempre que uma atualização é lançada, por exemplo, é importante verificar o que foi alterado no software para que a atualização seja agendada. Se forem recursos do sistema não tão essenciais, isso pode ser deixado para o final de semana.

Já no caso de ações para eliminar falhas de segurança ou adicionar modificações mais importantes, sua equipe pode agendar a atualização para a madrugada. Em casos extremos, dispare um e-mail solicitando aos colaboradores a atualização imediata dos computadores.

Para complementar, adote um sistema de inventário de TI que ofereça a opção de controlar a atualização dos softwares da empresa. Esse tipo de ferramenta otimiza o trabalho do gestor por meio de uma interface que exibe o controle geral de atualização dos sistemas.

Também é importante se atentar aos boletins dos fabricantes para saber quando serão disponibilizadas as novas versões dos softwares e criar essa rotina na sua equipe de TI.

Os riscos de não manter os sistemas atualizados

Para começar, tenha em mente que não estamos falando apenas dos sistemas operacionais e softwares usados no dia a dia — aplicativos de smartphones e drivers de hardware também exigem atualização periódica. Trata-se de uma evidência importante de que toda a infraestrutura de TI passa por um processo constante de inovação.

Os riscos de não executar as atualizações, por sua vez, são maiores do que alguns empresários costumam imaginar. Existem softwares, por exemplo, que trabalham em constante comunicação com uma plataforma online. Se uma atualização é feita para otimizar uma função, é possível que a plataforma passe a trabalhar com um padrão diferente de comunicação.

Em outras palavras, a função do software pode começar a apresentar erros por não ser mais compatível. Em casos específicos, alguns recursos são substituídos por outros, e é fundamental que essa inovação chegue à sua empresa — o que só pode ocorrer pela atualização.

Ainda assim, o maior problema é a questão da segurança. Os cibercriminosos adotam técnicas cada vez mais avançadas. Uma pesquisa rápida pode mostrar o quanto as gigantes corporativas (Microsoft, Apple, Google etc.) trabalham frequentemente na busca por soluções de segurança mais eficientes para proteger seus sistemas.

Assim, os boletins e relatórios dessas empresas mostram correções frequentes nos códigos para eliminar falhas. Para entender de que forma isso gera reflexos na sua empresa, basta olhar para um caso real.

Em 2017 ocorreu um grande ataque mundial a empresas, utilizando o ransomware WannaCry para “sequestrar” dados. Ao entrar no servidor, o ransomware criptografa todos os dados que encontra, passando de computador a computador pela rede, podendo chegar aos bancos de dados, caso eles não estejam na nuvem.

Qual foi a porta de entrada? Justamente uma falha do Windows. O resultado foi um prejuízo que alcançou a casa dos 5 bilhões de dólares. Entretanto, a Microsoft já havia notificado anteriormente no seu boletim que a falha havia sido identificada e corrigida em uma atualização.

Ou seja, a simples atualização do Windows era capaz de barrar esse ataque — mas poucas empresas deram atenção ao assunto em tempo hábil.

Como você pôde ver, a atualização de computadores em empresas é um assunto de extrema importância. Não deixe de investir em uma política de segurança da informação e adotar uma cultura de proteção dos seus ativos de TI. Sua empresa só tem a ganhar!

Gostou do post? Então veja também nosso artigo sobre como aproveitar ao máximo sua infraestrutura de TI!

Escreva um comentário

Share This